II ACB CULTURAL

A segunda edição da ACB CULTURAL aconteceu nos dia 09 a 13 de Março de 2021, no Canal do YouTube da Associação Catarinense de Bibliotecários (ACB).

A realização da II ACB CULTURAL foi uma parceria da Associação Catarinense de Bibliotecários (ACB) com a Fundação de Cultura e Turismo de São José (SC), por meio do edital de emergência cultural Aldir Blanc (Lei federal 14.017 de 29 de junho de 2020, município de São José, SC).

No primeiro dia, o evento da “II ACB CULTURAL” contou com a participação do Bacharel em Biblioteconomia e Mestre e Doutorando em Ciência da Informação – Genilson Geraldo, que ministrou a Oficina “Agenda 2030 e as Bibliotecas”. Genilson demonstrou como as bibliotecas podem contribuir para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030, apresentando exemplos práticos de ações, projetos e serviços que são desenvolvidos nas bibliotecas no cenário nacional e internacional. E de que forma os/as bibliotecários/os/es podem inserir a Agenda 2030 nas bibliotecas. Na mesma noite, tivemos a apresentação do artista e educador ambiental – Bento Ribeiro, apresentando o Projeto “A Tribo do Brotô, em SUCATÁTUNDUM” é uma proposta que tem como objetivo unir teatro, musicalização e ecologia no mesmo espetáculo. De uma forma lúdica, promove reflexões sobre a colonização ameríndia, preservação da natureza, descarte consciente e relações humanas contemporâneas. Propõe uma vivência teatral, através de jogos de improvisação, musicalização e práticas rítmicas utilizando resíduos sólidos reutilizáveis e sucata.

Confira o vídeo na integra do primeiro dia do evento:

https://youtu.be/O7Ut_pzbE0U

No segundo dia o evento da “II ACB CULTURAL” contou com a participação da Bacharel em Biblioteconomia com habilitação em Gestão da Informação – Paola Nascimento, que ministrou a oficina de “Captação de Recursos”. Paola apresentou modelos de projetos culturais para viabilização de recursos por meio da Lei de Incentivo à Cultura, também conhecida como Lei Rouanet, como ainda, explicou como elaborar projetos de captação de recursos. Na mesma Live, a contadora de histórias Lieza Neves, comentou sobre seus trabalhos e experiências como contadora de histórias, além de apresentar algumas histórias, que encantaram as pessoas que estavam assistindo.

Confira o vídeo na integra do segundo dia do evento:

https://www.youtube.com/watch?v=VCdY23BG1aE

No terceiro dia o evento da “II ACB CULTURAL” contou com a participação do artista e educador-cultural – Bento Ribeiro, que ministrou a oficina de “Fanzine”. Bento apresentou e ensinou as pessoas que estavam prestigiando o evento, modelos e técnicas para confeccionar fanzines, disponibilizando modelos de fanzines digitais. Na mesma noite,  a Cia Peregrina de Teatro presenteou as pessoas que estavam acompanhando a Live, com uma apresentação especial de teatro de bonecos para o dia dos bibliotecários. Além de interagir com os bonecos com a plateia e comentar suas experiências artísticas com a companhia de teatro.

Confira o vídeo na integra do terceiro dia do evento:

https://www.youtube.com/watch?v=AwJG4vCe2uE

No quarto dia o evento da “II ACB CULTURAL” contou com a participação das(os) escritoras(es) Giselle Marques, Fábio Garcia e Eliane Debus, que participaram de uma “Roda de Autores”.

Giselle Marques é escritora, arte-educadora e pesquisadora associada do Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros (Neab/ Udesc), Graduanda do curso de Letras Português/ UFSC. Conselheira editorial da revista feminista “Valente” do Sindicato do Judiciário de Santa Catarina (Sinjusc) e Coordenadora do Fórum da Mulher Negra Sideropolitana. No ano de 2019 foi convidada pelo governo Uruguaio e Universidade Federal de Montevidéu a representar o Brasil como Arte-educadora e autora do livro paradidático infanto juvenil O mundo de Oyá adotado nos Núcleos de Educação Infantil, escolas e universidades. Em 2017 apontada pelo Portal Catarinas como uma das 68 mulheres que influenciaram socialmente através do ativismo nas questões de gênero e raça.

Fábio Garcia é bacharel e licenciado em História pela Universidade de Santa Catarina/UFSC. Mestrando em Educação – PPGE/UFSC. Desenvolve projetos relativos às políticas afirmativas para negros e negras, participou da elaboração do curso de História de África no curso de História da UFSC e da implementação do sistema de cotas para alunos negros e de escola pública na mesma instituição. É autor de livros didáticos, paradidáticos, gestão cultural, história e sociologia.

Eliane Debus possui graduação em Letras Licenciatura Português e Inglês pela Fundação Educacional de Criciúma (1991), mestrado em Literatura pela Universidade Federal de Santa Catarina (1996), doutorado em Linguística e Letras pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (2001) e Pós-doutorado na Universidade do Minho (PT). Possui diversos livros com o Selo Altamente Recomendável da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil.

Confira o vídeo na integra do terceiro dia do evento:

https://www.youtube.com/watch?v=JcoXYJdpkcY&t=4s

No quinto e último dia o evento da “II ACB CULTURAL” contou com a participação das cantoras Dandara Manoela e Elô Gonzaga, além participação das pessoas indicadas para a medalha “Marília Damiani Costa”, Jorge do Prado (FEBAB), Ursula Blattmann (UFSC) e Orestes Trevisol Neto (CRB-14).

Recebendo a Medalha a Professora Ursula Blattman, que desde 1993 atua como professora da Universidade Federal de Santa Catarina nas áreas de
Biblioteconomia, Arquivologia e Ciência da Informação. Realizou a pesquisa de
pós-doutorado na Universidade Federal de Pernambuco, no Programa de
Pós-Graduação em Ciência da Informação (março de 2014 a fevereiro de 2015).
Possui graduação em Biblioteconomia pela Universidade Federal de Santa Catarina
– UFSC (1986), mestrado em Biblioteconomia pela Pontifícia Universidade
Católica de Campinas (1994) e doutorado em Engenharia de Produção pela
Universidade Federal de Santa Catarina (2001). Participa em conselhos e corpo
editorial de revistas técnicas e científicas.

Dandara Manoela – A artista Dandara Manoela tem firmado posição como uma das vozes mais potentes e promissoras do cenário catarinense, tanto pela qualidade musical quanto pelas críticas presentes nas letras de suas composições. Apesar de nascida em Campinas (SP) foi em Florianópolis que Dandara se conectou profissionalmente com a música e passou a escrever sobre os atravessamentos da sua própria história e também do povo negro. Esses temas acabam se entrelaçando em composições ricas que transitam entre o samba e o MPB. Minha Prece, uma das canções que compõe o álbum Retrato Falado com doze faixas autorais da cantora, soma quase 90 mil reproduções em apenas uma plataforma de streaming de música.

 Elô Gonzaga – é natural de Florianópolis e sua trajetória musical começa no convívio familiar, herança ancestral do Cacumbi. Norteada por músicos, criou o gosto musical pela música popular, tendo o samba como gênero principal, desenvolvendo a musicalidade com o grupo “Novos Bambas” e como cantora solo. Desenvolve um repertório com sambas, música popular brasileira e composições próprias. É educadora musical e mestra em Música pela universidade do Estado de Santa Catarina/UDESC.

 Confira o vídeo na integra do terceiro dia do evento:

https://www.youtube.com/watch?v=1o8QButSpwk&t=4927s

A Associação Catarinense de Bibliotecários, filiada a FEBAB (Brasileira das Associações de Bibliotecários) está atuante no estado de Santa Catarina desde 1975 como entidade que desenvolve atividades em prol de representatividade dos profissionais da informação, lutar pelos direitos da classe e pelo movimento dos bibliotecários em diversas instâncias.